Esta semana leremos em nossas sagradas escrituras sobre um tema tão atual e sonhado por quase todos que habitam neste planeta, que é a “PAZ”. Baseia-se na situação em que D’s responde a ação de Pinchas, que havia matado uma parceira, com a qual mantinha relações sexuais, diante do santuário. D’s, ao ver a ação de Pinchas, decide realizar um pacto de paz com ele.
Este conceito, Shalom-Paz, Salam-Peace, que tantas vezes ouvimos falar, o qual ansiamos em chegar, ao que parece, dia-a-dia, se faz mais difícil de levá-lo na prática. Alguns pensadores afirmam que uma sociedade comprometida com o crescimento comunitário deveria ter como principal objetivo a transmissão de ensinamentos para viver uma vida mais comprometida para o Tikun Olam, a reparação deste planeta e, assim, a concretização de uma paz duradoura.
Claro que não é fácil consegui-lo, já que cada um tem ideais díspares, pois nem todos pensam igual. Algumas atitudes que tomamos em determinadas ocasiões fazem com que não cheguemos a um acordo com nossos semelhantes.
Além disso, algo podemos aprender de nosso maravilhoso povo e, quem sabe, transmiti-lo, para que, em algum momento, as nações que compõem este mundo o apliquem.

Nossa Tefilá nos dá a possibilidade de refletir a respeito de diferentes valores e, portanto, também pela Paz. Quando nós recitamos a Amidá, reza central em nossas orações, geralmente ao finalizá-la damos 3 passos para trás quando recitamos “Ossê Shalom Bimromav…”. Nossos sábios de bendita memória explicam que estes passos se devem porque como nós estamos pedindo pela paz, para consegui-la, devemos ceder algo para conseguir o acordo.
Que bom seria se aqueles que habitam este planeta tivessem este conceito em suas mentes na hora de negociar, não? Saber que se pode dialogar, e que do outro lado também se está disposto a um acordo, cedendo e conseguindo consenso, é o que possibilitará chegar a um ponto em comum, para uma vida mais amena, sem ódios e, acima de tudo, uma vida de paz.
Queira D’s que neste Shabat Kodesh possamos refletir sobre o dar e receber. Pensar em quão importante é para todos aqueles que habitamos este maravilhoso planeta, saber que podemos caminhar livremente, sabendo que não existe o ódio e as guerras e, assim, juntos, conseguir concretizar logo aquele tão ansiado desejo que persegue as pessoas que habitam este planeta, que é Shalom, paz em nossa terra e em nossos corações
Shabat Shalom Umevorach
Rabino Ari Oliszewski

Categorias: Parachá

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *